Pele e cabelo saudáveis: saiba como a alimentação pode influenciar

foto de mulher com cabelo liso

Pele e cabelo saudáveis: saiba como a alimentação pode influenciar

Você perde cabelo e ganha linhas de expressão em uma velocidade além do que esperava? Sente o fio de cabelo fraco e a pele sensível demais? Sua alimentação pode não estar tão adequada quanto pensa, e é sobre isso o que vamos falar! Afinal, já pensou que a solução para a saúde e beleza da sua pele e do seu cabelo pode estar no seu prato? Sim, existe uma lista de alimentos que são ótimos para o cabelo e estes costumam funcionar super bem também para a sua pele!

A relação entre alimentação e pele e/cabelo é tão importante que uma marca brasileira de shampoo personalizado tem uma pergunta específica sobre alimentação no formulário que antecede a produção de cada produto. Isso é importante, por exemplo, para associar alguma queixa da cliente ao tipo de dieta que ela tem.

Para quem ainda tem dúvidas, a falta de proteína no corpo por exemplo resulta em queda ou enfraquecimento do cabelo. Afinal é a proteína que mantém o fio saudável e em fase de crescimento. E é simples de explicar; o cabelo – e os folículos que os sustentam – são feitos de proteína, ou seja, a falta dessas moléculas os enfraquece. Por isso, é comum pessoas que fazem dietas com baixo teor proteico notarem que o cabelo cresce mais lentamente e, em alguns casos, sofrerem com a queda dos fios.

E não é só o cabelo que sofre com a falta de proteína, mas também as unhas e a pele. Isso porque a pele é composta por três tipos de proteínas: colágeno, elastina e queratina. Faltou uma, já pode esperar algum reflexo na saúde e aspecto da sua pele, como a sensação de que ela está mais fina e o aparecimento de rugas.

Cores em você!

Os fitoquímicos, ou fitonutrientes, estão presentes nos vegetais e são substâncias protetoras, ou seja, dão a legumes e vegetais as características sensoriais, como cor, cheiro e sabor. Tais substâncias são antioxidantes, portanto, previnem o envelhecimento das células do organismo. Mais: elas previnem doenças, fortalecem a imunidade e, sim, deixam sua pele e seu cabelo mais saudáveis!

Em primeiro lugar, é bacana entender que cada cor corresponde a um grupo de nutrientes específicos. Sendo assim, é possível modificar a dieta com base nelas quando precisamos de determinada substância. A vitamina C, por exemplo, é encontrada em alimentos na cor laranja, então, se sua imunidade estiver dando sinal de alerta (muita gripe, virose, etc) é bom consumir laranja ou acerola, ótimas fontes do nutriente.

Entendendo isso, fica fácil variar as cores nas refeições certo? Se alimentar de forma “colorida” é garantia de que você está ingerindo nutrientes variados, e se precisar, dê uma reforçada em uma cor específica de acordo com seu objetivo!

Quais nutrientes estão por trás de cada cor?

São sete cores na alimentação: branco, marrom, vermelho, amarelo, laranja, roxo e verde e diversos benefícios, quer ver?

Verde

Os vegetais dessa cor contêm vitaminas A e C, cálcio, fósforo e ferro. Sendo assim, todos eles têm poderes desintoxicantes! Tanto os vegetais quanto as folhas nesta coloração melhoram o sistema imunológico e cardiovascular, protegem os cabelos e a pele e ajudam na reparação dos ossos. Aposte em brócolis, alface, pepino, chuchu, vagem…

Roxo

Alimentos roxos têm um pigmento chamado antocianina, que protege você de infecções. Além disso, eles são responsáveis por combater os radicais livres e doenças cardiovasculares. Portanto, se esses benefícios forem importantes para você, coloque na dieta uva, berinjela, beterraba, jabuticaba, açaí…

Laranja

Os vegetais alaranjados, como cenoura, abóbora, manga, damasco, mamão, são ricos em betacaroteno, que se transforma em vitamina A em nosso organismo. Esse nutriente é essencial para a boa saúde da pele, da visão, dos cabelos e das unhas.

Amarelo

Frutas de polpa amarela, como melão, maracujá e abacaxi também são donas de quantidades significativas de vitamina C, que aumenta a imunidade e previne resfriados, além de ser antioxidante e proteger as paredes dos vasos sanguíneos.

Vermelho

O mais famoso do grupo dos alimentos vermelhos é o tomate, conhecido pelos benefícios associados ao licopeno, substância que traz inúmeras vantagens para a saúde. Apostando no prato mais avermelhado, você está prevenindo o câncer e preservando o bom funcionamento do coração e do organismo. Outras substâncias poderosas estão nesse grupo de cor, acelerando o metabolismo, combatendo inflamações e retardando o envelhecimento das células. Que tal colocar mais melancia, morango e pimentas vermelhas nas refeições?

Branco

Alimentos deste grupo de cor são boas fontes de cálcio e potássio! O cálcio e o potássio são minerais importantes para os ossos e a prevenção da osteoporose. Estão aqui o arroz, a banana, o repolho, o alho, a cebola e a batata…

Marrom

As leguminosas, as castanhas e as nozes, que têm uma variedade de nutrientes, como o selênio e as vitaminas E e do complexo B. São fontes de fibras alimentares, regulando o intestino, prevenindo o câncer e doenças cardiovasculares e atuam no controle do colesterol e da glicose sanguínea.

Será que é o seu prato a causa da sua caspa?

Já que o que comemos fazem mais do que nutrir nossos corpos (na verdade, influenciam tudo, desde nossa pele até nossa capacidade de combater uma doença), a alimentação pode ter relação direta com as questões mais complexas e também as simples. Você parou para pensar que a sua pode afetar diretamente seu couro cabeludo?

Como falamos acima, a comida tem um efeito super relevante no corpo, a ponto de algumas teorias ligarem a caspa à dieta, por exemplo. Acredita-se que leveduras de alimentos pesados tenham relação com o aumento do Malassezia globosa, levando à caspa. Mas… não é assim que funciona! Pois é, nem tudo tem relação.

O fato de a caspa ser causada por uma levedura não significa que comer ou beber alimentos com levedura causará a caspa ou tornará o problema pior. É simples; são os fermentos usados nos alimentos são do gênero Saccharomyces, enquanto o que vive no couro cabeludo é o Malassezia globosa. Além disso, os fermentos ingeridos permanecerão no seu sistema digestivo, não interferindo na raiz do seu cabelo.

A comida pode sim afetar seu couro cabeludo: uma dieta saudável – rica em zinco, ácidos graxos ômega-3, proteínas e ferro – ajudará a manter a raiz e o cabelo fortes, evitando danos ou descamação causados pelo ressecamento. Mas é importante colocar os pingos nos i’s. A questão, portanto, é conhecer sua alimentação, seu corpo e não se apavorar com teorias infundadas, mas sim, se informar e consultar um bom nutricionista!

Deixe uma resposta